Subscreva a newsletter
 

Regiões Vitivinícolas

Dão e Lafões

A região Dão-Lafões estende-se desde os 1000 metros de altitude da Serra da Estrela até aos 200 metros nas zonas mais baixas.

Dão e Lafões
Voltar
Com uma extensão aproximada de 376 mil hectares e rodeada pelas serras do Caramulo, Montemuro, Buçaco e Estrela, a Região de Dão-Lafões, situada na Beira Alta, centro Norte de Portugal, distribui as suas vinhas entre zonas profundamente montanhosas e vales em colinas.
Informação
A região de Dão-Lafões é formada pelos municípios de Aguiar da Beira, Carregal do Sal, Castro Daire, Mangualde, Nelas, Oliveira de Frades, Penalva do Castelo, Santa Comba Dão, São Pedro do Sul, Sátão, Tondela, Vila Nova de Paiva, Viseu e Vouzela.
As condições geográficas desta região são excecionais para produção de vinhos. As serras protegem as vinhas da influência dos ventos e o clima sofre simultaneamente a influência do Atlântico e do interior, o que resulta em invernos frios e chuvosos e verões quentes e secos. Os 20 mil hectares de vinhas situam-se, maioritariamente, entre os 400 e 700 metros de altitude e desenvolvem-se em solos xistosos ou graníticos.
As vinhas da região foram desenvolvidas pelo Clero na Idade Média, especialmente pelos monges de Cister, ocupantes de muitas das terras da região e fomentadores da produção vitícola. Todavia, foi a partir da segunda metade do século XIX, que a região beneficiou de um grande desenvolvimento, sendo a sua área de produção de vinho delimitada no ano de 1908, tornando-se na segunda região demarcada portuguesa. Reza a história, que antes da partida dos portugueses para a conquista de Ceuta, foi servido vinho do Dão nos luxuosos festejos organizados pelo Infante D. Henrique em Viseu.
A região apresenta uma grande diversidade de castas, destacando-se, nas variedades tintas, a Touriga Nacional, Jaen, Rufete, Alfrocheiro-Preto e Aragonez, e nas brancas, a Encruzado, Bical, Cercial, Malvasia Fina e Verdelho. Os vinhos tintos são encorpados, aromáticos e podem ganhar bastante complexidade após o envelhecimento. Os brancos são frutados e bastante equilibrados.
Enoturismo
Enoturismo
Uma das imagens mais icónicas da Região de Dão-Lafões é, sem dúvida, a Região Demarcada de Vinho do Dão. Uma visita a esta região não ficará completa se não incluir um passeio a uma das muitas adegas ou quintas, para prova dos vinhos e petiscos locais.
Rica e variada, a gastronomia tradicional do Dão assume-se, de igual modo, como um dos seus principais atrativos. Entre os pratos típicos do Dão destacam-se o cabrito assado, o cozido à portuguesa, os torresmos da beira, a feijoada beirã, o arroz de míscaros e a carne de vinha-de-alhos. Na doçaria, a influência medieval está ainda muito presente como o arroz doce, as filhós ou os pastéis de "Sant'Ana". Por fim, os queijos e petiscos, com menção honrosa para o queijo Serra da Estrela, o ex-libris dos produtos típicos da região e ainda para os enchidos e o presunto.
No panorama de lazer e cultura a região oferece atividades diversificadas e enriquecidas pela tradição milenar da região do Dão. A sede da Rota dos Vinhos do Dão situa-se no Solar do Vinho do Dão em Viseu. Ainda em Viseu, vale a pena visitar o Museu de Arte Sacra da Catedral, onde pode ser visto o tesouro do Cabido da Sé Catedral, um dos mais antigos de Portugal. No que concerne a eventos, destaque para a Feira do Vinho do Dão, realizada em Setembro, que reúne os melhores produtores da região. Em Dão-Lafões concentra-se ainda um grande número de estâncias termais, onde é possível experimentar uma diversidade de programas terapêuticos e de bem-estar.
  • Portugal by Wine