Subscreva a newsletter
 

Regiões Vitivinícolas

Douro e Porto

A Região do Douro destaca-se pela beleza ímpar das suas encostas, compostas por escadarias de socalcos, onde as vinhas são plantadas até às margens do rio.

Douro e Porto
Voltar
Classificada no ano de 1756 como a primeira região demarcada e regulada do mundo, e reconhecida como Património da Humanidade pela UNESCO, desde o ano de 2001, a Região do Douro é uma das mais antigas e belas regiões vinícolas europeias, onde, desde há dois mil anos, se produz vinho.
Informação
A Região do Douro localiza-se no Nordeste de Portugal, rodeada pelas serras do Marão e Montemuro, estendendo-se ao longo de 13 concelhos, desde a fronteira com Espanha até alguns quilómetros de distância da cidade do Porto. A área vitícola ocupa cerca de 40 mil hectares, apesar da região se prolongar por cerca de 250 mil hectares. Cerca de dois terços da área de vinha está plantada nas encostas íngremes que bordeiam o rio Douro e os seus afluentes, como o Pinhão, Távora, Tua e o Corgo. A região duriense é a única área produtora de vinho no mundo onde se pratica a viticultura de montanha de clima quente. O clima é habitualmente temperado, com invernos frios e rigorosos e verões muito quentes, registando uma precipitação moderada. Os solos são essencialmente xistosos embora, existam também, em algumas zonas, solos graníticos. As vinhas dispõem-se do cimo dos vales profundos até à margem do rio e criam uma paisagem magnífica reconhecida em todo o mundo.
O Douro encontra-se dividido em três sub-regiões, Baixo Corgo, Cima Corgo e Douro Superior. O Baixo Corgo, sob a influência direta da Serra do Marão, é a sub-região mais fresca e chuvosa, o que a torna a mais fértil e com maior densidade de vinhas. O Cima Corgo, conhecido como o coração do Douro, é onde nascem muitos dos vinhos do segmento superior do Vinho do Porto, devido à maior concentração de açúcar nos bagos de uva. O Douro Superior, a sub-região de maior extensão, é a mais quente e seca, mas também a menos acidentada. É também reconhecida pelos seus vinhos brancos, espumantes e o generoso Moscatel.
O Douro é uma das regiões portuguesas mais ricas em castas, com centenas de variedades únicas, contando também com uma extensa área de vinhas velhas. Dentro da panóplia de castas cultivadas no Douro, destacam-se nas tintas, a Tinta Barroca, Tinta Roriz, Tinto Cão, Touriga Franca e Touriga Nacional, selecionadas pela sua excelência para a produção de Vinho do Porto. Evidenciam-se igualmente, nas castas brancas, a Gouveio, Malvasia Fina, Moscatel, Rabigato e Viosinho. Para a produção de Moscatel, salienta-se a casta Moscatel Galego. É no Douro que nasce o principal dos vinhos nacionais, o Vinho do Porto. O Vinho do Porto ocupa um lugar de destaque como um dos grandes vinhos icónicos do mundo. De igual modo, especialmente nas últimas décadas, os vinhos tranquilos do Douro ganharam grande importância e reconhecimento internacional.
Enoturismo
Enoturismo
Na subliminar Região do Douro a beleza e singularidade da paisagem constituem um verdadeiro ex-libris da imagem turística da região. Os seus vales, as vinhas plantadas em socalcos, descendo até ao leito do rio, o percurso de transporte do vinho até às caves, fazem parte de um conjunto onde a simbiose entre a cultura, tradição e natureza da região, aliada à produção de vinhos de excelência e à rica gastronomia local, constituem os ingredientes perfeitos para uma descoberta excecional.
Na Região Demarcada do Douro, o visitante poderá encontrar desde o pequeno viticultor ao grande produtor de vinhos, podendo visitar as caves, as vinhas, a adega, provar e comprar vinhos de excelência, saborear a gastronomia local, assim como, participar em diversas atividades de Enoturismo. A Rota do Vinho do Porto tem ainda a particularidade de se poder fazer de carro, comboio ou barco, uma vez que o rio é navegável da cidade do Porto a Barca de Alva, na fronteira com Espanha.
Considerada um dos melhores destinos vínicos mundiais, a cidade do Porto é a mais comum porta de entrada para a rota do Douro. É imperativo uma visita às caves de Vinho do Porto, situadas em Vila Nova de Gaia, onde os principais produtores, de tão elogiado néctar, sugerem provas dos melhores vinhos, exposições diversas, bem como refeições de excelência. Pelo Douro acima, na cidade de Peso da Régua, poderá visitar o Museu do Douro e o Solar do Vinho do Porto. Ainda na Régua, encontramos a mais importante estação ferroviária do percurso. Nesta estação poderá apanhar o antigo comboio a vapor e fazer uma viagem histórica por um percurso repleto de belas paisagens.
A gastronomia duriense é similarmente rica e variada, predominando os sabores mediterrânicos. O suculento cabrito com arroz e batatas assados no forno a lenha, a carne em vinha-d'alhos, os pratos de bacalhau, a cabidela caseira, as favas com chouriço e o cozido à transmontana, são algumas das delícias gastronómicas da região.
  • Portugal by Wine