Subscreva a newsletter
 

Regiões Vitivinícolas

Vinhos Verdes

A Região Demarcada dos Vinhos Verdes é, em área geográfica, a maior região demarcada portuguesa, e uma das maiores da Europa.

Vinhos Verdes
Voltar
A Região dos Vinhos Verdes impressiona pela sua beleza natural. Os seus campos verdejantes, nos quais a plantação das vinhas é feita em ramada, guiam-nos por caminhos onde é possível conhecer a História de Portugal, pelas origens e sabores da milenar cultura vinícola da região.
Informação
Situa-se no extremo Norte do país, é delimitada a norte pelo rio Minho, estendendo-se pela costa atlântica até ao rio Douro e às serras da Freita, Arada e Montemuro, a Sul. Caraterizada por uma paisagem verde, húmida e diversificada, é também rica em recursos hidrográficos. O clima apresenta uma influência atlântica extremada, com temperaturas frescas e chuvas abundantes. Os solos são homogéneos e maioritariamente graníticos, férteis e de acidez elevada, e as vinhas concentram-se ao longo dos vales dos rios principais. As condições naturais desta região são ideais para a produção de excelentes vinhos brancos, assim como, espumantes e aguardentes. A denominação divide-se em nove sub-regiões, todas distintas em tipologia de solos e microclimas, são elas: Monção e Melgaço, Lima, Basto, Cávado, Ave, Amarante, Baião, Sousa e Paiva. Na sub-região de Monção é produzido o monocasta Alvarinho, um dos vinhos mais famosos do país, que apresenta cor citrina e aromas frutados e florais. No litoral da região, nas sub-regiões do Cávado, Ave e Lima, predominam os vinhos brancos, produzidos com a casta Loureiro. Estes caraterizam-se por um intenso aroma floral, pela sua frescura, corpo e estrutura equilibrada. São também cultivadas as castas brancas Arinto, Avesso, Azal e Trajadura. Relativamente aos tintos cultivam-se a Borraçal, Brancelho, Espadeiro e Vinhão.
A região é essencialmente conhecida pela produção de vinho branco, apesar da produção de vinho tinto também ser relevante. Os vinhos brancos são especialmente aromáticos, límpidos e refrescantes, enquanto os tintos são carregados de cor, frescos e com aromas a frutos silvestres e especiarias. A região produz igualmente vinhos espumantes, os quais apresentam uma qualidade surpreendente pela sua frescura natural, baixo teor alcoólico e o caraterístico gás carbónico. Atributos que classificam a Região dos Vinhos Verdes, como um dos locais mais promissores para a produção de vinhos espumantes em Portugal.
Enoturismo
Enoturismo
Ao longo de todo o noroeste de Portugal, abrangendo 49 concelhos, é possível desfrutar de praias, montanhas, vales e rios, assim como, de uma paisagem única, onde o verde, que dá nome ao vinho e à região, é predominante. A região abrange cidades Património da Humanidade e um valioso conjunto de monumentos, castelos, igrejas, pontes e os típicos espigueiros.
Os pontos turísticos que mais se destacam na Região dos Vinhos Verdes são: as históricas cidades de Braga e Guimarães, onde poderá visitar a Sé Catedral, a mais antiga do país, ou na "Cidade Berço", a Colina Sagrada, coroada com o Castelo de Guimarães; a costeira cidade de Viana do Castelo, com todos os seus monumentos; ou ainda, a tradicional vila de Ponte de Lima, a mais antiga de Portugal. No Norte da região, destaque para as aldeias serranas do Soajo e Castro Laboreiro e as magníficas paisagens do Parque Nacional da Peneda-Gerês. Em Monção, a dois quilómetros de Espanha, encontramos o Solar do Alvarinho, situado em plena zona histórica da vila. O solar tem como objetivo a promoção e divulgação do vinho Alvarinho, oferecendo aos visitantes salas de provas, exposições, eventos e workshops.
A cozinha tradicional desta região é simples mas de grande qualidade, havendo uma relação direta entre os ingredientes colhidos na região e os pratos típicos. O cabrito assado no forno, a lampreia, as trutas do rio Minho, o salmão, o sarrabulho, os rojões, a cabidela e o caldo verde são algumas das especialidades típicas desta região. Junte-se-lhe o insinuante presunto, de cor rosa-avermelhada, de Fiães e Castro Laboreiro, e os diversos enchidos, acompanhados com um vinho Alvarinho, e encontram-se reunidas todas as condições para usufruir de uma refeição magistral. Nos doces destaque para o pão-de-ló, o arroz doce ou a cavaca minhota.
  • Portugal by Wine